Prestes a completar 6 meses eu vivi um fim de semana caótico com Lucas. Eduardo estava viajando e ficamos na casa dos meus pais. A alimentação dele ainda era exclusiva no leite materno e eu achei que tudo ok, afinal, a mamadeira dele (no caso, eu) estava lá. Mas não foi bem assim.

A primeira mamada não foi legal, ele custou a pegar o seio e mesmo assim contrariado. Achei estranho mas insisti. A segunda seguiu o mesmo ritmo e a terceira não aconteceu. Lucas não queria mamar, só chorava. Estava com fome e mesmo assim não queria o seio. Eu, nervosa, não sabia o que fazer. Acabei dando meu leite ordenhado na mamadeira e foi assim por todo sábado e parte do domingo. Estava triste, chateada, nervosa. E pra completar, no fim do dia, chegou a notícia que meu marido tinha sido assaltado. Meu nervosismo foi a mil, não produzi leite e Lucas mamou leite artificial.

Chorei a madrugada inteira. Me sentia mal pelo desmame precoce do meu pequeno. Me culpei porque achei que ele preferia a mamadeira, já que estava tomando meu leite nele no último mês porque voltei ao trabalho. Chorei minhas pitangas num grupo de amigas que me consolaram, contaram suas histórias até que uma me falou sobre a greve de amamentação. Eu não conhecia isso e fui pesquisar.

LEIA TAMBÉM: Relato dos seis meses de amamentação exclusiva

Descobri que são bem comuns e acontecem, no geral, por conta de eventos traumáticos como estresse em casa, mudanças de ambiente e até quando a mãe dá um grito quando o bebê morde o peito, entre outros. Me identifiquei demais. Lucas começou a ter uma confusão de bico e estava mordendo muito meus seios, gritei algumas vezes, confesso.

Tentaram me convencer que eu consegui completar os 6 meses de amamentação e que era ok deixá-lo só na mamadeira e leite artificial, mas eu não aceitei isso. Eu queria continuar amamentando porque é o melhor pro Lucas e eu sempre vou dar o meu melhor pra ele, mas também porque, admito, eu não estava preparada para o desmame.

A greve durou alguns dias, insisti com a amamentação, precisei de muita paciência porque ele chorou muito. Pra complicar, Lucas passa os dias com as avós e na época mamava na mamadeira, então eu tinha poucas oportunidades pra reverter essa situação.

Segui as dicas do Grupo Virtual de Amamentação, mudei as posições para amamentar e fiquei com ele no peito mas sem oferecer a mama. Cheguei a andar com o leite artificial por precaução mas nunca mais utilizamos. Lucas se apegou ao peito novamente, mamãe ficou feliz e estamos a caminho do oitavo mês de amamentação.

A introdução alimentar fluiu bem e ele praticamente só come comida durante o dia, leite está quase só no peito. E eu nem posso sair depois do trabalho porque quando chego em casa mal dá tempo de tomar um banho, Lucas está desesperado pelo peito e todo aconchego do colo da mamãe.

Eu não sabia que existia greve de amamentação e se não me informasse meu filho já estaria desmamado hoje. Se isso acontecer com você, insista. Faça seu melhor como mãe.

beijos,
Lu