Casar sempre foi um sonho, acho que é coisa de menina, né? Queria ter minha casa, minha família, cuidar disso com todo carinho e manter tudo limpo e organizado. Mas, quando cheguei da lua de mel e fui parar na casa – nova e desconhecida – o choque foi muito maior do que eu poderia imaginar. Tipo, muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito maior mesmo.

Eu aprendi cedo a lavar, passar, cozinhar, arrumar e limpar. Ajudava em casa sempre que possível, mas eu só ajudava. A partir do “sim” no altar, passou a ser minha obrigação (e do marido, claro) e nossa!, como é difícil se organizar pra isso. Eu trabalho fora e o Dudu também, e todo dia o cansaço é maior do que a vontade de fazer as coisas. Aí tudo acumulava, e depois pra fazer era um verdadeiro sacrifício.

Um pedacinho da nossa cozinha <3

[Um pedacinho da nossa cozinha <3]

Fora que, desculpa quem gosta tá?, mas cuidar de casa é muito chato. Eu preferia mil vezes ficar no sofá assistindo qualquer coisa a lavar louça, dobrar roupa, passar pano na casa. É chato, é cansativo mas é totalmente necessário.

Aí rolou estresse, briga, lágrimas, tiro, porrada e bomba. hahaha – ou quase!
Mas a verdade é que hoje, um ano casados, a rotina está bem mais tranquila, adaptada, com tudo funcionando no lugar. Ou quase.

Tem dia que a gente não tá afim, tem dia que você tá passando mal, tem dia que surge um imprevisto. Aí acumula e é um verdadeiro parto pra voltar ao eixo. Vida de mulher maravilha não é fácil. Trabalhar o dia todo, pegar ônibus cheio, engarrafamento, chegar em casa e fazer o que precisar, passar no mercado/açougue/peixaria/afins, manter a casa em ordem e no fim do dia vestir lingerie sexy e passar hidratante ryco no corpo, ser sexy, ser mulher…

É, repito: vida de mulher maravilha não é fácil. Mas tô aprendendo.
Aqui conto tudo pra vocês.
Vai ser meu diário secreto da dona de casa desesperada. Ou a deliciosa loucura da vida a dois.
Espero que gostem!

beijos,