Segunda passada comecei a minha dieta e vim contar pra vocês como tem sido essa fase da minha vida. Queria dizer que é fácil, mas não é. É puxado, exige foco, autocontrole e determinação. Vai dar vontade de comer doce e gordice sim, principalmente no início. Fora que ninguém vai parar de comer essas coisas perto de você.

A principal mudança na minha dieta é o café da manhã. Desde criança eu tomo um copo de leite assim que acordo e lá pelas 10h/11h como algo. E eu tive que inverter isso. Meu novo café inclui frutas, suco e torrada/pão integral. E eu obrigatoriamente preciso acordar mais cedo pra comer tudo isso. Nos primeiros dias senti muita falta do leite e me sentia fraca, mas agora já estou acostumando.

Aliás, senti muita dor de cabeça nos primeiros dias. Não imaginei que sentiria tanto, como a alimentação mudou – desde o tipo de comida, quantidade e até mesmo os horários -, meu corpo sentiu. Mas segui firme.

IMG_7808

Crepioca, meu novo amor <3

No almoço, estou comendo mais em quantidade e qualidade. O arroz branco foi abolido e só consumo o integral agora. Nada de carne vermelha, só branca, e cozida, assada ou grelhada. E nisso tudo, eu passei a levar comida de casa e foi um trabalho a mais. Cozinhar, fazer as marmitas, deixar tudo pronto.

E nisso tudo eu voltei pra academia. Semana passada consegui ir duas vezes, mas nessa segunda semana pretendo intensificar. Meu joelho ainda não aguenta muita coisa, mas vou tentar ir 3 vezes por semana e sábado, se der.

Bom, há sete dias eu não como doces, fritura, pão, embutidos, refrigerantes/suco de caixinha. Me sinto um pouco desinchada. Acho que não sinto mais porque estou num período pré-menstrual.

Daqui a dez dias volto na nutri e vou ver o resultado disso tudo. Assumo que estou com medinho de não ter conseguido perder peso, mas também sei que é aos poucos. Um passo de cada vez. Um dia de cada vez.
E eu vou conseguir.

beijos,

 

A verdade é que eu preciso emagrecer. Não é só uma questão de estética, de dar tchau ao culote, de ficar feliz com meu corpo, agora já é um caso de saúde. Meus últimos exames apontaram o colesterol bem elevado. E minhas taxas sempre foram bem normais.

Eu sempre vesti 38. Quadril largo mas cintura fina. Coxas grossas. Essa era eu. Ainda sou. O quadril anda mais largo que nunca e as coxas estão pra explodir de tão grossas. A cintura não existe mais. E toda vez que me olho no espelho, dá vontade de chorar. Como pulei do manequim 38 pro 44? Como deixei isso acontecer?

Quando casei, em setembro de 2014 não estava na minha melhor forma. Pesava 64kg. Hoje, um ano depois, meu peso está em 75kg – indo pros 76kg.

As roupas não cabem e as poucas que entram não vestem bem. Estou insatisfeita comigo e tudo o que eu quero nos momentos de tristeza é chorar. Muito.

Há um tempo o alarme começou a tocar e me matriculei na academia. Cheguei a ir regulamente por alguns dias mas isso não durou muito e há uns 4 meses não piso lá. Toda vez é um empecilho diferente, uma desculpa esfarrapada e a balança continua sinalizando que eu preciso mudar. Preciso acordar e parar com essa comilança desenfreada, me exercitar, me amar. Eu só tenho 27 anos! Como vou chegar aos 30, 40? Com problemas sérios de colesterol? Sem disposição? Porque a energia se esvaiu do meu corpo. Bom, sinceramente quero uma vida mais leve pra mim, sem esse tipo de preocupação.

Hoje é meu basta.
Hoje 01/10/2015. Cansei do meu peso, cansei de olhar pra mim e me achar feia, cansei de não me ver nesse corpo, cansei de procurar abrigo na comida, cansei de inventar desculpas. Eu preciso mudar. Mudar a alimentação e meus hábitos, e principalmente o tamanho da minha calça.

Em janeiro eu completo 28 anos. E eu quero virar o ano com menos 10kg. Quero chegar no dia 31/12 com 65kg.

Vou sempre contando pra vocês os meus avanços e dificuldades, minha perda de peso, rotina de exercícios (espero!) e a alimentação.
Espero que tudo fique bem e eu fique feliz comigo mesma.

Bjs,