Essa é a receita mais improvisada da minha história. Antes de passar, queria dizer que fica incrível. Talvez a foto não tenha ajudado mas eu juro que fica incrível. Não é “ah, legal. tá incrível”, é bem “NOSSA, AMIGA! ISSO TÁ IN-CRÍ-VEL!”.

Então.
Estava um dia sem nada em casa além de frango – o que é uma benção, claro!
Resolvi que ia fazer frango grelhado. Cortei em cubos grandes, temperei e pensei “queria algo diferente”. Aí comecei a fuçar a geladeira e achei um sachê de cheddar que Dudu comprou pra comer com batata frita e bacon. E aí, EUREKA!

Receita:

– 300g de frango cortado em cubos grandes – ou formato que você preferir
– Tempere a gosto. Eu usei sal, alho, mostarda e shoyo (amo shoyo!)
– Doure o frango.
– Acrescente o cheddar
– Misture
– Sirva

IMG_6197

HAHAHAHAHAHA
Não riam!
Eu deveria ter vergonha de chamar isso de receita né?

Servi com arroz e batata palha porque era o que tinha, mas vale acompanhar com o que sua criatividade permitir. Eu senti falta de uma salada verde e Dudu reclamou que era batata palha e não batata frita. Enfim.

O importante aqui é:
– A receita fez sucesso
– Tem cara de gororoba mas é IN-CRÍ-VEL
– Nada fica ruim com cheddar
– Poderia ter bacon também
– Pode substituir o cheddar por catupiry e outro queijo de sua preferência
– Eu fiz isso antes da dieta, logo ainda não furei ok? E nem vou!

Tentem e me contem!
Vocês vão gostar!

Beijos

A verdade é que eu preciso emagrecer. Não é só uma questão de estética, de dar tchau ao culote, de ficar feliz com meu corpo, agora já é um caso de saúde. Meus últimos exames apontaram o colesterol bem elevado. E minhas taxas sempre foram bem normais.

Eu sempre vesti 38. Quadril largo mas cintura fina. Coxas grossas. Essa era eu. Ainda sou. O quadril anda mais largo que nunca e as coxas estão pra explodir de tão grossas. A cintura não existe mais. E toda vez que me olho no espelho, dá vontade de chorar. Como pulei do manequim 38 pro 44? Como deixei isso acontecer?

Quando casei, em setembro de 2014 não estava na minha melhor forma. Pesava 64kg. Hoje, um ano depois, meu peso está em 75kg – indo pros 76kg.

As roupas não cabem e as poucas que entram não vestem bem. Estou insatisfeita comigo e tudo o que eu quero nos momentos de tristeza é chorar. Muito.

Há um tempo o alarme começou a tocar e me matriculei na academia. Cheguei a ir regulamente por alguns dias mas isso não durou muito e há uns 4 meses não piso lá. Toda vez é um empecilho diferente, uma desculpa esfarrapada e a balança continua sinalizando que eu preciso mudar. Preciso acordar e parar com essa comilança desenfreada, me exercitar, me amar. Eu só tenho 27 anos! Como vou chegar aos 30, 40? Com problemas sérios de colesterol? Sem disposição? Porque a energia se esvaiu do meu corpo. Bom, sinceramente quero uma vida mais leve pra mim, sem esse tipo de preocupação.

Hoje é meu basta.
Hoje 01/10/2015. Cansei do meu peso, cansei de olhar pra mim e me achar feia, cansei de não me ver nesse corpo, cansei de procurar abrigo na comida, cansei de inventar desculpas. Eu preciso mudar. Mudar a alimentação e meus hábitos, e principalmente o tamanho da minha calça.

Em janeiro eu completo 28 anos. E eu quero virar o ano com menos 10kg. Quero chegar no dia 31/12 com 65kg.

Vou sempre contando pra vocês os meus avanços e dificuldades, minha perda de peso, rotina de exercícios (espero!) e a alimentação.
Espero que tudo fique bem e eu fique feliz comigo mesma.

Bjs,

Se tem uma coisa que eu aprendi na marra foi a quantidade de comida necessária para dois aqui em casa. Passei meses desperdiçando comida, tendo que jogar fora porque eu fazia comida demais. E isso não é legal. Mesmo. Semana pós semana, cada vez que eu tinha que jogar tudo fora eu me sentia péssima. Sempre pensava nas pessoas que não tinham um prato pra comer e eu jogando fora…

Eu sempre cozinhei na casa dos meus pais. E com os anos de prática, eu já tinha em mente a medida certa das coisas para quatro pessoas comerem bem e sobrar pro dia seguinte. Quando cheguei na minha casa, é claro que repeti as medidas. No início achei ótimo porque, por exemplo, eu tinha arroz para uma semana toda. Acreditei que era um adianto danado e segui com essa ideia.

Só que eu me esqueci de um detalhe. Eu não faço todas as refeições em casa. No geral eu almoço na rua, e não tenho o hábito de jantar. Dudu almoça em casa/leva marmita e janta as vezes. Fora isso, ainda filamos comida na mãe/sogra/avós/outro familiar ou amigo pelo menos uma vez por semana (não riam!), então o arroz estragava e qualquer outra comida também. Frango então. Nossa! Eu descongelava a bandeja inteira de 1kg e ficava lá na geladeira. Quando eu notava, já não prestava.

Hoje eu diminuí muito as quantidades. Arroz eu faço para 2 refeições no máximo. Eu adianto a carne/frango/peixe e congelo. Feijão idem. Depois que aprendi a congelar as coisas, minha vida mudou! E a alimentação lá de casa também.

jantar-ideal-dia-namorados-sexo-2

Vamos ao que interessa.

Arroz – eu uso um copo de requeijão Vigor de 200ml como medida. Dá para duas refeições para o casal.

Macarrão – 250g dá pra comer e repetir. No geral faço à noite, jantamos e sobra pra marmita de Dudu no dia seguinte (e a minha também)

Feijão – eu cozinho o quilo e divido em vasilhas pequenas. Uma vasilha de 200ml dá pra duas refeições – ou mais (eu quase não como feijão)

Carne moída – 250g é o suficiente pra fazer almôndegas ou um molho bolonhesa bem caprichado. Eu compro 1kg da carne e separo em porções de 250g. Se for só pra eu e Dudu, 1 unidade é suficiente. Se no dia a gente tiver com visita, pego duas unidades ou mais – de acordo com a quantidade de visita.

IMG_6374

Carne em Bife – Normalmente eu calculo 2 bifes pequenos/médios pra cada um por refeição. Se for bem grande, um é suficiente. Raramente sobra. Se eu for fazer strogonoff ou ensopadinho, eu já uso cerca de 250g ou 300g. Ela picada rende bastante, então basta. Faço o mesmo esquema da carne moída, já separo em porções.

Frango – Eu compro a bandeja, abro e separo as porções. Um peito de frango é mais que o suficiente para nós dois. E sobra para o dia seguinte. Dá com folga. Sempre separo por peitos. Quando estou empolgada eu já separo cortado em filé ou em cubos. Para outros cortes também separo por quantidade para cada um. Por exemplo, 4 sobrecoxas.

IMG_6375

Essa é a minha realidade. Mas vale ajustar para a quantidade de comida que vocês estão acostumados. Eu cozinho umas três vezes por semana pra ter comida fresquinha sempre. Era avessa a essa ideia porque achava que me tomaria tempo demais, mas foi a melhor coisa que eu fiz. É um tempo ótimo do lado do Dudu, ele sempre fica do meu lado e lava a louça pra mim, rs. Ah, eu não parto do zero nesses dias, costumo adiantar as coisas no sábado, tipo, deixar carne cortada e talz. Mas isso fica pra outro post… 😉

Espero que meu relato ajude bastante vocês!